Retrospectiva 2016 – Charles Chibana

dsc_1251Seria impossível definir o ano de Charles Chibana em poucas palavras. A temporada foi reservada por expectativas, altos e baixos.

O foco no início do ano era o mais obvio possível: o Rio 2016. A competição era um dos momentos esportivos mais importantes da história brasileira e medalhar em frente aos seus compatriotas com toda certeza seria um sentimento diferente e imortalizado na história. Absoluto em sua categoria em nível nacional, o judoca do Pinheiros era nome certo nos Jogos.

A primeira competição do ano foi o Aberto Europeu de Oberwart, na Áustria, que prometia ser um bom local para analisar boa parte dos atletas que estariam na Rio 2016. Chibana não só se testou, como também voltou para casa com uma medalha no peito, o bronze.

O Campeonato Pan-Americano de Havana, em Cuba, foi a competição seguinte. O que ocorreu foi um indicio de que o ano seria de alegrias para Charles. Conquistou o lugar mais alto do pódio e muita confiança para as disputas seguintes.

Com duas medalhas adicionais a sua galeria de troféus, Chibana recebeu a informação que esperava ansioso há quatro anos: foi convocado para defender o Brasil na Rio 2016. Desde então, focou em fortes treinamentos, tanto com o grupo olímpico, quanto no Pinheiros e até no Instituto Reação, no Rio de Janeiro.

Na disputa, o brasileiro acabou derrotado na primeira rodada. De cara, lutou com um adversário mais experiente e de renome mundial, o japonês Masashi Ebinuma, que viria a ser medalhista de bronze na competição.

Após as Olimpíadas, muitos teriam parado e relaxado nos treinamentos, mas Chibana se focou e aguardou futuras convocações para os demais campeonatos no ano. Voltou a defender o Brasil no Grand Slam de Abu Dhabi, uma das competições mais tradicionais no calendário da IJF (Federação Internacional de Judô, em inglês).

No torneio, mostrou que o que ocorreu nos Jogos era passado. Atuações contundentes, contra judocas de países que, assim como o Brasil tem renome no esporte, foram derrotados pelo nosso compatriota. No final, garantiu seu lugar no pódio com o bronze.

Foto: CBJ