Seleção embarca para aclimatação para o Mundial Astana 2015 na França nesta quarta

desafioOs 18 convocados para representar o Brasil no Mundial Astana 2015 embarcam na próxima quarta-feira, 12 de agosto, para um período de aclimatação na França, mais precisamente na cidade de Saint Genevieve. A saída para o Cazaquistão vai ocorrer em duas etapas: os atletas mais leves e parte da comissão técnica viajam no dia 20 e o demais no dia 24. O objetivo da Confederação Brasileira de Judô é conquistar cinco medalhas, chegando a duas finais e com duas medalhas no masculino.

“Nosso objetivo é sempre evoluir. Vamos em busca de um resultado no masculino que não acontece desde 2011. Cinco medalhas seria o nosso segundo melhor resultado da história em termos quantitativos”, disse Ney Wilson, gestor de alto rendimento da CBJ. Em 2014, em Chelyabinsk, o Brasil conquistou quatro medalhas: ouro com Mayra Aguiar (78kg), prata com Maria Suelen Altheman (+78kg) e bronzes com Érika Miranda (52kg) e Rafael Silva (+100kg).

A equipe será formada por dezoito atletas, sendo nove no masculino e nove no feminino, o número máximo permitido. As mulheres convocadas foram Sarah Menezes (48kg),  Nathália Brigida (48kg), Érika Miranda (52kg), Rafaela Silva (57kg), Mariana Silva (63kg), Maria Portela (70kg), Mayra Aguiar (78kg), Maria Suelen Altheman (+78kg ) e Rochele Nunes (+78kg). Felipe Kitadai (60kg), Eric Takabatake (60kg), Charles Chibana (66kg), Marcelo Contini (73kg), Victor Penalber (81kg), Leandro Guilheiro (81kg), Tiago Camilo (90kg), Luciano Correa (100kg) e David Moura (+100kg) vão representar os homens na capital do Cazaquistão.

No Cazaquistão, a comissão técnica será formada por Ney Wilson, chefe da delegação; pelos técnicos Rosicleia Campos, Luiz Shinohara, Fulvio Miyata e Mário Tsutsui; pelo supervisor Amadeu Moura; pelo médico Antônio Guilherme Garofo; pela psicóloga Adriana Lacerda; pela nutricionista Gisele Lemos; pelo preparador físico Wagner Zaccani; pelo fisioterapeuta Glaucio Paredes; pelo massoterapeuta Hans Peter Strubreiter; pelo estrategista Ricardo Lúcio; e pelo assistente administrativo Bernardo Seabra.

Por: Confederação Brasileira de Judô